Colágeno, consumi-lo ou não

Nutricionista Daniela Marques Eckert

Uma das principais causas do envelhecimento é a perda do colágeno pelo organismo. Os músculos ficam flácidos, a densidade dos ossos diminui, as articulações e os ligamentos perdem elasticidade e força motora. A perda de colágeno ocorre a partir dos 30 anos, quando o corpo passa a perder 1% da proteína ao ano. Por volta dos 50 anos, seu organismo produz apenas 35% da capacidade total de colágeno. Os tecidos gradualmente passam por mudanças, sendo que, na pele, essas alterações são mais facilmente reconhecidas. Atrofia, enrugamento, ptose e lassidão representam os sinais mais aparentes de uma pele senil. Cerca de 80% dos sinais visíveis causados no envelhecimento são originados pelos raios ultravioletas, principais estimuladores da formação de radicais livres.
O termo “colágeno” deriva das palavras gregas Kolla (cola) e Genno (produção) e é atualmente utilizado para denominar uma família de proteínas encontradas no tecido conjuntivo ao longo do corpo, como nos ossos, tendões, cartilagens, veias, pele, dentes e músculos. Tem desempenho em diversas funções no corpo humano, como, manter as células dos tecidos unidas e fortalecê-las, responsável também pela cicatrização e/ou regeneração em caso de corte ou cirurgia, auxilia na hidratação do corpo e está ligada ao processo do envelhecimento humano.
No caso das unhas e cabelos, o colágeno forma uma matriz onde os minerais se fixam para deixá-los fortes, resistentes e brilhantes. Para a pele o nutriente oferece mais elasticidade, porém, isto terá pouca influência no aspecto e evolução da celulite. É uma excelente aliada para pessoas com dietas de baixas calorias, devido ao alto conteúdo de proteína e por não conter gordura e carboidratos.
Carne vermelha, peixes e frango, são boas opções da proteína para as refeições. Entretanto, somente a alimentação não é capaz de fornecer a quantidade ideal que nosso organismo necessita a partir dos 30 anos, e a suplementação pode ser necessária.
O colágeno hidrolisado é uma opção fácil de suplementação. Ele pode se apresentar sob várias formas, como pó, líquido, cápsulas, sachê, balas, chocolate e águas aromatizadas. A melhor forma para atingir a dose diária recomendada é o pó diluído em água.
Para que haja uma síntese adequada de colágeno, é necessária a associação entre a vitamina C e a ingestão adequada de proteínas que fornecerão os aminoácidos que constituem o colágeno. Também deve haver o consumo adequado de alimentos ricos em silício, cobre, manganês, vitamina E e betacaroteno que atuam como coadjuvantes na síntese da proteína.
Estudos comprovam que uma mistura nutricionalmente adequada de soro de leite e colágeno hidrolisado apresenta benefícios a idosos, atletas, pacientes no pós-operatório de cirurgias de grande porte ou que sofreram traumas com lesões graves ou queimaduras.
Envelhecer é um processo inevitável e natural que engloba todas as classes de seres vivos. O que a ciência tem buscado, são maneiras de estes sinais ficarem menos evidentes, onde o colágeno se encaixa perfeitamente, pois suas atividades comprovam inúmeras melhorias. Porém, apenas o colágeno não é o suficiente para atingir resultados benéficos. Inúmeros fatores interferem no processo de envelhecimento celular, alguns benéficos como é o caso de uma alimentação saudável, balanceada, que supra as demandas necessárias diariamente de nutrientes.




Facebook jornal.png

Rua João Pessoa, 1969 - Sala 003 | Pinhalzinho | 049 3366-3910

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina