Faça do alimento o seu melhor remédio

Nutricionista Daniela Marques Eckert

Radicais livres são moléculas produzidas naturalmente pelo organismo durante processos como respiração e produção de energia. Essas moléculas reagem com componentes do corpo, podendo causar diversos danos à saúde. Para evitar e neutralizar a ação dos radicais livres, o organismo produz moléculas chamadas antioxidantes. Se as defesas antioxidantes tornam-se insuficientes frente à excessiva produção de radicais livres, ocorre o chamado estresse oxidativo que tem sido relacionado a um grande número de doenças degenerativas, inflamatórias, neurológicas, pulmonares, oculares e ao envelhecimento precoce. O uso de medicamentos, o tabagismo, as condições nutricionais, o consumo de álcool, a poluição do ar e outros fatores podem diminuir os níveis de antioxidantes celulares.
Os alimentos são a melhor fonte de antioxidantes naturais, e uma alimentação rica em frutas, vegetais e grãos fornece para o corpo os antioxidantes necessários para prevenir doenças. Eles podem ser empregados nas indústrias de alimentos, cosméticos, bebidas e também na medicina.
Estudos indicam que a vitamina C encontrada em frutas cítricas, no pólen apícola, no melão, tomate, brócolis, aspargo e em folhas verdes, possui efeito protetor contra danos causados pela exposição a radiações, medicamentos e contra o desenvolvimento de tumores. No trato respiratório pode reagir rapidamente com poluentes do ar, como a fumaça de cigarro. A recomendação de suplementação dessa vitamina deve ser avaliada especificamente para cada caso, pois existem muitos componentes nas células que podem modular a atividade da vitamina C, afetando sua ação antioxidante.
A vitamina E presente nos óleos vegetais, abacate, oleaginosas e semente de girassol, pode impedir danos causados por radicais livres associados a doenças como artrite, catarata e o envelhecimento. Em fumantes a vitamina E pode apresentar atividade pró-oxidante caso não haja concentrações equivalentes de outros antioxidantes.
Há na literatura evidências de que a deficiência de selênio e zinco é um fator importante de predisposição no desenvolvimento de tumores. O selênio presente na castanha-do-pará, frutas secas, carnes, peixes e frutos do mar, pode interagir com as vitaminas A e E na prevenção do desenvolvimento de tumores e na terapia da AIDS.
A vitamina A tem apresentado ação preventiva no desenvolvimento de tumores da bexiga, mama, estômago, pele e intestino. O β-caroteno, o mais importante precursor da vitamina A, está amplamente distribuído nos alimentos (cenoura, batata doce, abóbora, mamão, manga, couve, nabo, mostarda, espinafre, salsa) e possui ação antioxidante contra o câncer e doenças cardiovasculares. A suplementação de β-caroteno e vitamina A em fumantes deve ser controlada devido ao risco de desenvolvimento de câncer de pulmão.
Os carotenoides são amplamente distribuídos na natureza, sintetizados exclusivamente em plantas e responsáveis pela coloração de frutas e hortaliças. Entre os principais estão o licopeno, β-caroteno, luteína e zeaxantina. Encontrado principalmente no tomate, o licopeno é um carotenoide que dá a cor vermelho ao tomate, goiaba e melancia. Previne o câncer de próstata, tem ação contra tumores de esôfago, pele e pulmão, diminui o risco doenças cardiovasculares e protege contra os danos causados pelos raios ultravioletas (envelhecimento da pele). Para o licopeno do tomate ter melhor absorção, o tomate deve ser aquecido (molho) e consumido com uma fonte de gordura (azeite de oliva). A zeaxantina e luteína são carotenoides presentes nas frutas e legumes amarelo-alaranjados, nos vegetais verde-escuros e na gema de ovo. O consumo desses carotenoides é essencial para a prevenção da catarata.
A quercetina e o resveratrol são antioxidantes presentes nas frutas e vegetais, e são os flavonoides mais abundantes encontrados no vinho tinto. O consumo de vinho tinto tem sido associado à proteção contra doenças relacionadas à idade e à redução do LDL-colesterol.
As catequinas presentes em grandes quantidades no chá verde e cacau estão entre os flavonoides mais potentes como antioxidantes. O elevado consumo de azeite de oliva relaciona-se com menor incidência de doenças cardiovasculares e alguns tipos de câncer. Também podem ser benéficas para algumas doenças como o diabetes tipo 1, cardiopatias e infecções virais.
O ácido elágico, encontrado principalmente na uva, morango e nozes, tem sido efetivo na prevenção do desenvolvimento do câncer induzido pelas substâncias do cigarro.
A curcumina é um antioxidante encontrado no açafrão e no curry. Ela sequestra os radicais livres e inibe a peroxidação lipídica agindo na proteção das células, incluindo o DNA.
Há fortes evidências de que os antioxidantes estejam associados a um envelhecimento saudável e à longevidade. Os nutrientes presentes nos alimentos propiciam proteção à saúde agindo em sinergia e não isolados. É importante lembrar que a suplementação de antioxidantes deve ser feita de acordo com orientação médica ou do nutricionista, e que uma alimentação equilibrada é necessária para que seus efeitos benéficos sejam alcançados.
 




Facebook jornal.png

Rua João Pessoa, 1969 - Sala 003 | Pinhalzinho | 049 3366-3910

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina