A violência contra os idosos é pauta da Política Municipal do Idoso de Pinhalzinho

Imprensa do Povo

Nos últimos anos, a violência contra a pessoa idosa vem aumentando. Especialistas afirmam que esse tipo de violência pode ser perpetrado por familiares, amigos ou até mesmo desconhecidos. Os idosos são mais propensos a esse tipo de violência, já que possuem dificuldades de defesa e mobilidade. Muitos dos indivíduos da terceira idade não tem um sistema de apoio como os jovens, tornando-os ainda mais vulneráveis e expostos à violência.

A coordenadora da Política Municipal do Idoso Marisa Dalapossa frisou que de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a previsão é que o número de pessoas idosas em 2025, seja 23% da população. "Ou seja, com mais de 60 anos, teremos em torno de 32 milhões de pessoas. Entre tantas outras questões, é preciso ter um olhar voltado à violência contra a pessoa idosa, já que é um dos principais relacionados com a questão da longevidade deles", disse.

Segundo Marisa, a questão da pirâmide é um parâmetro que mostra que muita coisa está mudando. "Antes a parte de baixo era mais larga e a de cima mais estreita, mas agora ela está se invertendo. Essa mudança exige uma atenção maior, para contornar esses e outros desafios que surgem com a questão do envelhecimento humano".

Na última quarta-feira (15), comemorou-se o Dia Mundial da Conscientização do Combate à Violência contra a Pessoa Idosa. "Essa data é muito importante para estimular os cuidados necessários na preservação da vida e da saúde desse grupo com maior faixa etária. A data surgiu com a necessidade de promover maior bem estar e qualidade de vida para a pessoa idosa. Esse momento é um símbolo na luta pela garantia de assistência integral na saúde do idoso. A data foi criada em 2006, durante uma reunião com representantes de diversos países, que foi coordenada pela Organização das Nações Unidas (ONU). Essa rede também foi composta por entidades ligadas aos direitos humanos e à defesa da vida. Então essa data é uma grande oportunidade para incentivarmos a conscientização e falarmos sobre os cuidados com a terceira idade", explicou.

Marisa disse que pelo fato das doenças e dores crônicas surgirem com a idade, muitos idosos se tornam mais vulneráveis à violência. "Por isso faz-se necessário uma reflexão sobre o assunto, para que a prática possa ser evitada. Essa é a importância da união dos municípios e da necessidade de os conselhos do idoso estarem em pleno funcionamento", argumentou.

A coordenadora disse que com o cenário atual, depois de um período de pandemia, a necessidade de atenção é maior ainda. "Principalmente com a saúde mental, uma vez que eles compõem um grupo de risco mais propenso a esse tipo de doença. Além do aspecto físico, a proteção dessas pessoas evita o desenvolvimento de problemas mentais, como os transtornos de ansiedade e depressão. Por conta disso, celebrar o Dia Mundial da Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa é importante na disseminação de informações e na garantia do envelhecimento saudável".

Marisa esclarece que a população deve participar ativamente dessas campanhas de combate a opressão de qualquer forma de violência. "Por isso é importante que todos sejam também vigilantes, a ponto de denunciar casos suspeitos, procurando as instituições responsáveis. Aqui em Pinhalzinho temos o Conselho Municipal do Idoso que funciona junto à Secretaria de Assistência Social e ao nosso departamento. Além disso temos representantes da Assistência Social e outros indivíduos que são conselheiros, os serviços de proteção básica do CRAS e os serviços da proteção média e alta complexidade. Qualquer um desses órgãos, estão a disposição para receber denúncias", disse.

Marisa explicou que é extremamente necessário criar campanhas para preparar gerações mais jovens, em termos de tratar e respeitar os direitos do idoso. "Para que isso seja possível, estamos iniciando a campanha do Junho Violeta. Se cada município fazer um pouco, os idosos irão se sentir mais protegidos. O dia 15 de junho é uma ocasião favorável para despertar essa consciência mundial, social e política sobre os impactos gerados pela violência contra os idosos", frisou.

De acordo com a coordenadora, em 2011, com a criação do Conselho do Idoso, o município teve muitos avanços nessa questão. "A partir de 2019 tivemos a criação do Fundo Municipal do Idoso e a partir de 2020 a Lei Municipal do Idoso, a qual vem realizando atividades de um porte médio para o município pinhalense. São momentos abertos e diários que fazem com que os idosos venham interagir".

Conforme Marisa, esse tipo de violência traz um efeito muito ruim. "Isso traz o maltrato a saúde emocional do grupo integrante da terceira idade. "Eles muitas vezes querem encontrar estratégias para fugir da violência, mas pelo fato dela ser muitas vezes psicológica, o idoso acaba não encontrando. Na maioria das vezes isso não deixa marcas físicas, mas sim uma marca muito grande na mente do idoso, que passa a ser triste e deprimido".

As maiores demandas na atualidade, segundo a coordenadora Marisa, devem-se ao fato da pandemia. "Mas agora é hora de voltar com as atividades, tomando os cuidados necessários, pois eles devem estar envolvidos com a sociedade em geral. É preciso fazer com que a saúde da terceira idade retome como um todo, não podemos falar da saúde do idoso pensando somente nos remédios ou consultas, temos que pensar na prevenção de doenças e problemas, que vem acompanhada de atividades físicas, danças, teatros, cultura e muito prazer de viver".

Marisa chamou a atenção dos familiares, com a intenção de fazer com que eles tragam os idosos para as atividades que o município oferta. "As vezes todo mundo sai para trabalhar e o idoso acaba ficando sozinho em casa. Então tragam eles até o salão paroquial, aonde acontecem as atividades do departamento. Vamos ter alguma coisa que o idoso goste de fazer ali", completou.

Com o intuito de conscientizar a população sobre a causa, a administração municipal, em parceria com a Política Municipal do Idoso, Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa (CMDPI) e Centro de Referência Especializado em Assistência Social (CREAS), está promovendo uma roda de conversa na Câmara Municipal de Vereadores de Pinhalzinho.

Com o tema "Violência contra a pessoa idosa, o que temos a ver com isso?", às 8 horas acontecerá a acolhida dos participantes com coffee break; às 8h15 será realizada a abertura; às 8h30 ocorrerá a roda de conversa com a participação da Secretaria de Saúde, Secretaria de Assistência Social, hospital, Polícia Civil e Ministério Público; às 10 horas será feito um debate; e às 11 horas o enceramento.

O evento será transmitido na TV Câmara e através do Facebook da prefeitura de Pinhalzinho e política do idoso.


Imagens




Facebook jornal.png

Rua João Pessoa, 1969 - Sala 003 | Pinhalzinho | 049 3366-3910

Copyright © 2011. Todos os direitos reservados | Associação dos Jornais do Interior de Santa Catarina